back Voltar ao Blog



O que fica da morte de Luna Andermatt, figura «rebelde e determinada»


A antiga bailarina e coreógrafa Luna Andermatt, cofundadora da Companhia Nacional de Bailado, morreu no passado dia 5 de novembro, aos 87 anos, em Lisboa, vítima de doença prolongada, disse à agência Lusa fonte da família.

Considerada uma das figuras mais importantes da dança em Portugal, Luna Andermatt integrava ainda a Companhia Maior, formada por profissionais do teatro, dança e música, com mais de 60 anos.

Medalha municipal de mérito, Grau Ouro

Em fevereiro passado, Luna Andermatt foi homenageada com a medalha municipal de mérito, Grau Ouro, pela Câmara Municipal de Lisboa, pelo contributo para a dança em Portugal como bailarina, coreógrafa e professora.

Maria Antónia Luna Andermatt, nascida em 1926, tinha o sonho «de dignificar a arte da dança em Portugal», com a formação de bailarinos profissionais, como afirma a CNB numa biografia sobre a coreógrafa.

Fundou a Companhia Portuguesa de Bailado

Em 1961 fundou a Companhia Portuguesa de Bailado, com o marido, Francisco de Assis Brás de Oliveira. Três anos depois da revolução de 25 de abril de 1974, a convite do então secretário de Estado da Cultura, David Mourão-Ferreira, criou e dirigiu a CNB.

Figura «rebelde e determinada», como descreve a CNB, Luna Andermatt criou ainda o Centro de Estudos de Bailado, no Teatro Nacional de São Carlos, aprofundou em Londres e em Paris os conhecimentos sobre o ensino da dança e protagonizou, juntamente com Vera Varela Cida, dois programas televisivos dedicados à dança.

Abaixo segue o vídeo de homenagem feito à coreógrafa, aquando da entrega da medalha municipal de mérito pela Câmara de Lisboa, no Teatro Camões em Lisboa, no dia 14 de fevereiro de 2013.

Brasil a Dançar
Texto escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico.
Quinta, 14 de Novembro, 2013 por Brasil a Dançar